terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sonho




Em meus sonhos o vejo chegar.Inunda-me a alegria, a mais completa felicidade de sabê-lo por perto.Sem rodeios poder passear em ti. Descobrir lugares reconditos que possam te levar aos céus, provando de todas as formas de beijo, mas se cansado da lida, apenas agir como 'gueixa' e sem queixa descalçar seus sapatos, ajudá-lo a despir-se do pesado fardo das roupas,alimentá-lo com amor ou com 'arroz', mimá-lo tal como se fosse criança e embalá-lo como homem. meu homem. Suavemente. Nada exigindo. Só o assistindo. E se quiseres, pode contar como foi seu dia, as maçadas, as surpresas, as alegrias. Tudo enfim...
mas se quiseres calar-te, acatarei seu silêncio.E se adormeceres, ficarei velando seu sono,embevecida decorando seus contornos.Fecharei meus olhos e lançarei aos céus uma prece de agradecimento:o homem de meus sonhos está em meu sonho...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Queimando...




Retrato do escritor israelense Amos Oz




Amós Oz
Pacifista.
Militante.
Israelense
Homem de letras.
Escritor:Palavras são ‘armas’ para promoção da paz
Para quem onde há vida há concessões
Para quem contar histórias é como ‘sonhar, é como fazer amor, é como o sexo, é como o alimento’.
Quem sabe um dia a pantera no porão sairá e se encontrará, de repente, nas profundezas do bosque
E na terra dos profetas
Terá que viver de amor e trevas
Carregar a marca da Oz(coragem) que
Um dia teve armas na mão
E nas linhas que compõem a sua obra, conflitos:
Dolorosos espinhos cravados na dignidade de povos
Pela guerra.
Pela violência constante
Pelo fanatismo tolo
Mas,ele fez um movimento que espera mudar o mecanismo da grande roda da vida: paz agora
Sim ele acredita: um dia a paz vai acontecer,pois não há outra alternativa









Obra do pintor Marcelo Accarini



domingo, 14 de agosto de 2011

O pintor volta a ser menino e com dedos ágeis pinta um barco.A vela. Com sua embarcação atravessa, destemido, um mar de sonhos coloridos. Percorre um longo caminho por esse mar de papelão. Magicamente a vela o vela e singrando ele vai. As águas sagradas e salgadas fazem com que, inevitavelmente,brotem doces sorrisos.
E assim ao sabor dos pincéis, que'voam' como remos livres, vai saboreando espumas de pura alegria, matando a sede de sua nostalgia lúdica.
Esquece de tudo que o acorrenta. Nada de cela. Só tela. Só vela. Só...
Nesse refúgio se entrega ao prazer
De ter o menos por mais.
Parabeniza-se intimamente por sua perseverança. Paciência de encontrá-las, a incomparável gratidão de ganhá-las.
Delicia-se com a liberdade de deixar a criança que nele existe dar asas à imaginação, correr atrás de suas preciosidades, valorizar o fantástico colecionismo que torna real os desejos da infância,recuperá-la,pois muitas vezes, perdida...
mas com cuidado maduro para não as ‘ferir’, pois mais que brinquedos são suas obras de arte.Se as magoarem a dor refletirá em si.
Descobre que nesse mar de miniaturas nenhum sentimento é pequeno, que o investimento também é emocional.Delicado. A satisfação é imensa...intensa.
E nesse ‘mar’ liliputiano ele mergulha profundamente. Não importa de onde vem o vento, pois a vela parece escolher um que é como uma terna caricia e que ao sabor desse morno e amoroso sopro o faz provar de tão ‘oceânica’ beleza
Começando um novo quadro”

Como um menino arteiro se deixa levar por sua sina
Um novo trabalho começa.
Risca traços passo a passo.
Com ou sem 'compasso'.
E no compasso de si mesmo mergulha fundo no mar de seus amores: luz e cores.
E sem perder o tom: tons.
Colore.
Com técnica.
Com o coração.
Com paixão
Com as talentosas mãos
E nesse mergulho profundo despe-se de fardos
Abstraído, ganha leveza
Desperta sensações
E indo cada vez mais fundo nesse mergulho, vê magicamente surgir uma nova obra
Diverte-se. Sente-feliz. Completo.
Ali é sua real casa que se casa com o que realmente o nutre e fortalece: ser um pintor...

"FÁBRICA da CERVEJA ANTÁRCTICA"-São Paulo-Brasil





O local, hoje esboço da obra que foi
Guarda histórias.
Quem por ali passa ainda pode sentir a grandeza, imaginar o burburinho. A efervescência. A movimentação...
E ao retratar tão importante cenário o artista resgata a alma
A vida, a emoção do lugar
que ajudou a eternizar no país do calor
os emblemáticos pingüins.
Mas o patrimônio, hoje histórico
Cumpriu sua vocação: quando o copo se encheu, derramou-se levando seus sabores por outras paragens.
Multiplicou-se. Internalizou. Ganhou o mundo
Deixando ali a ‘garrafa’. ‘Antarticamente’ tombada...

Obra de Marcelo Accarini
http://www.accarinifinearts.blogspot.com/

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Delirios

Sonho contigo. Dia e Noite.
Noite e dia.
E o sonho incontido invade a
madrugada com fome de ti...

domingo, 7 de agosto de 2011

Arar-te




Tens tão belas paisagens
que dá vontade de revolver-te a terra.
Arar-te
Semear sonhos misturados à realidade.
Regar esperança,amizade e carinhos.
E colher quem sabe frutos de amor, do seu amor...

Beija -Flor...
























Nada seria fácil para um beija-flor
Se não tirasse do tempo
Toda a graça de ser o que é Talvez, um inocente, ou quem sabe um errante beija-flor que escolheu a flor
Para nutrir-se de sua deliciosa essência
A que jardim pertence essa talentosa e curativa flor?
Nada sei. Não quero saber.
Só quero a beleza da flor, despetalá-la
Condená-la às minhas caricias
Mas não quero tristemente viver a dor em flor
Claro que não!
Quero a alegria oculta, desvendar os segredos de ser o que és: flor...
Não a arrancarei do alheio jardim
Pois a flor, a bela e desejada flor Virá, se assim desejar, receber desse beija-flor o que lhe é de direito: beijos de amor...






(Imagem de João Ferraz)

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Seu Mar...





Vou descobrindo que você é simplesmente aquilo que pinta em suas obras:
Belo.
Verdadeiro.
Único.
A felicidade,talvez, resida nesse pintar.
Nesse criar.
Mas não pense que a satisfação,o gozo é somente seu.
Uma obra,uma vez criada,pertence ao Universo.
Muitas vezes essa obra nos deixa com lágrimas nos olhos.
Com prenúncios de doces sorrisos
Com as mãos molhadas de seu Mar...
Essas obras sempre me fizeram sonhar
Com medo de me afogar em dor
Parei com o sonho
Não adiantou.
Coloquei os pés no chão
Mas você continuou aqui.
Continua aqui!
Dentro de mim como uma obra pintada com tintas eternas
Não tenho mais segredo e confesso: te amo.
Te adoro.
Meu rio não tem pressa.
Segue seu curso deslizando em correntezas de alegria.
Pra que tanta pressa se o meu rio
só quer saber de desaguar em seu mar, no seu Mar...



video

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Entre tantos



Saudade

de um

momento:

o que te vi...