segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Deserto vermelho

























Ela não sabe se vai poder protegê-lo
Desse mundo insano
Louco. Delirante.
Expressionista.
Abstrato.
Desproporcional.
Com desespero
Busca a forma. O ritmo. A luz
Para isso
Quer tingir-se de cores. Saturadas
Artificiais para mostrar o real, deixá-lo nu.
Critica-lo
Mas
Os sentimentos explodem e misturam apreensão. Opressão.
Neuroses.
Depressão
Angustia
Solidão
Permite que vejam
a fratura exposta: fragilidade humana.
Como pode viver num ambiente ameaçado
Industrializado
Onde a tecnologia acaba por modificar os sentimentos dos homens.
Ela não sabe como mostrar ao pequeno um mundo condenado, então magicamente pela primeira vez colore esse que é o filme de sua vida
Tristemente percebe que o deserto é dolorosamente vermelho, mas que amanhã se preciso for, poderá ser de outra cor. De outra cor...

Obra do pintor Marcelo Accarini baseada no filme 'Deserto Vermelho", primeiro filme colorido do cineasta Antonioni
http://www.accarinifinearts.blogspot.com/

Fazenda São Carlos do Pinhal







É do Pinhal
Mas são elas que imperiosas
Imperiais
Balouçam ao vento
Exibindo traços harmônicos
Ritmados
Ardem sob o sol
Leais
Imponentes
Esbanjando proporção
E os traços ‘carvoeiros’
As desnudam
Seculares
Testemunhas
Da história
Guardiãs de todas as memórias
da fazenda
São Carlos
que é do Pinhal,
Nobres súditas, as palmeiras, imperiais...









Obra do pintor Marcelo Accarini



domingo, 23 de outubro de 2011

Ilha Bela

























O barco navega lentamente
Sem pressa
Beijando a superfície de suas águas
Enebriado por receber os doces carinhos de suas ondas sedosas
Indefeso diante de tantos encantos
Ele se derrama em cores
E magicamente se ‘aquarela’para se ofertar a ela, a Ilha Bela...



Obra do pintor Marcelo Accarini


http://www.accarinifinearts.blogspot.com/

Ilha Bela






Encantado com tanta doçura.
Quer prová-la.
Decifrar o seu mistério
Vencendo o mar de carvão
Aporta a embarcação
Liricamente se aproxima
E em êxtase confirma: sua paixão é bela!
Ilha Bela....







Obra do pintor Marcelo Accarini
http://www.accarinifinearts.blogspot.com/















Cristo Redentor







Navega em paz o pescador
Em absoluta leveza.
O barco se distanciando
Em um manso aconchego como o balanço de uma rede.
O pescador avista o Cristo.
E embora distante sente a monumental força Daquele a quem chamam Salvador.E se identifica. Ambos são pescadores: ele,de peixes,O Outro, de almas.
E nessa grata identificação sente que o amor de Cristo se manifesta em braços abertos e o acolhe, redentores...












Obra do pintor Marcelo Accarini

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Dois veleiros







Não mais momento de espera, mas sempre alertas
porque, às vezes, o perigo pode ficar escondido
numa suave brisa, no silêncio
não mais adiar nada para o futuro e
Navegar o presente momento
e estremecer com a caricia das ondas nos cascos castigados pelo tempo
Libertos das ancoras, mas enlaçados pelo amor
Velam-se.
Tornam-se bússolas mutuas os dois veleiros deixando-se
levar deliciosamente pelo mar caminho...pelo caminho do mar...









Obra do pintor Marcelo Accarini

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Kelly



Kelly: Guerreira.
Estar despida das vestes não a torna desarmada
Lança sensualidade sem nem ao menos se mover
Quieta
Estática
Tudo acontecendo dentro de si
O olhar de alguém que tenta desenhar seus contornos perde-se em linhas desconexas: os braços parecem virar tentáculos
A face sem olhos mira o quê? Quem?
Os pés não estão prontos para o caminho...
As mãos incompletas para afagar a vida que ora se desenha...
Não olha para lugar algum, além do horizonte de si mesma
E, misericordiosamente, o dono dos olhos que a miram ‘modela’ o modelo
Presenteia- a com cores não para adorna-la, mas para sentir que ele próprio está vivo...











Obra do pintor Marcelo Accarini

domingo, 9 de outubro de 2011

O segredo é não desistir






“A vida sempre foi muito boa comigo! Agradeço por isto.
O segredo é não desistir e acreditar sempre, mas antes vou ali na praia relaxar. Quando voltar te pego de jeito e venço de novo
(Paulo Braccini)





Célia Pires
Quando sentimos a lança da amargura nos perfurar e provocar lancinante dorVem a bênção da cicatriz que cura a ferida, mas deixa a sua marca para aprendermos que podemos vencer a amarguraQuando nos sentimos inferiores, sem adendos suficientes para isso ou para aquilo
Vem a bênção de alguém que nos mostra que não precisamos saber física quântica para sermos sábiosQuando tudo em volta se torna escuridão
Vem a bênção de uma luz e nos mostra que podemos ter brilho próprio. Ser estrela
Quando tudo vira enchente e estamos prestes a nos afogar
A bênção de um milagre nos lança uma bóia de salvação
Quando estamos prestes a ser esmagados por uma locomotiva
A bênção de uma mão acolhedora nos tira do perigoQuando o peito está sufocado,quando as lágrimas teimam em transbordar,quando parece que tudo está irremediavelmente perdido
O guerreiro que mora em nós se coloca a postos e nos mostra que a vida sempre foi boa conosco e que devemos agradecer por isso, pois quando erramos nos é dada a chance de acertar, que podemos sorrir ao invés de chorar, que o segredo é combater o bom combate, acreditar no fluido de vida que nos habita
E sobretudo, nos mostra que podemos descalçar os nossos sapatos, retirarmos todas as máscaras que nos cobrem, molhar nossos pés e até o corpo todo nesse mar chamado fé que existe em cada um de nós.
Esse guerreiro nos convida a mergulhar nesse restaurador e magnífico mar, para que possamos lavar dores, rancores, amarguras, buscar energia para enfrentarmos os dragões diáriosE depois de refeitos podemos dizer à vida que nos desafia com suas armadilhas: “Quando voltar te pego de jeito e venço de novo

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Barco de Pescadores






Alheia ao que ficou para trás a embarcação segue com seus pescadores desafiando o mar.
Vão em busca do sustento
Destemidos!
Só(s)seguindo a intuição
O barco
rasgando cinzentas ondas
Sem bússola
Nem a fúria do vento
Nada os detém
A força para jogar a rede vem de olhos marejados de esperanças,
De braços acolhedores, de lábios doces que os fazem esquecer das muitas vezes em que sofredores quase foram levados para as profundezas do mar
Sim essa força vem do amar
Vem de uma força divina que os livra de serem simples pecadores para serem pescadores, para
serem pescadores... de amor!


Obra do pintor Marcelo Accarini
http://www.accarinifinearts.blogspot.com/

domingo, 2 de outubro de 2011

Barco a carvão























Num mar feito de carvão navega um corajoso barco.
Mostra que existe beleza também em águas plúmbeas.
Que ali também pode se encontrar a felicidade. Basta mergulhar em desconhecida profundidade...
Assim, com a ancora recolhida, nada importa à pequena embarcação, a não ser atravessar suavemente as linhas carvoeiras traçadas com luz e sombra...


Obra do pintor Marcelo Accarini
http://www.accarinifineartes.blogspot.com/